Domingos Sávio defende na Funai terras produtivas ameaçadas de expropriação
07 de Julho de 2017 - por: Thábata Manhiça

Domingos Sávio defende na Funai terras produtivas ameaçadas de expropriação

Deputado reafirmou seu respeito e apoio aos indígenas, mas destacou que não é justo tomar sem indenizações as terras dos produtores rurais

O deputado federal Domingos Sávio reuniu-se na última terça-feira, 04, com o presidente da Fundação Nacional do Índio (Funai), juntamente com lideranças de Martinho Campos e Pompéu, em defesa dos produtores rurais, que têm suas terras ameaçadas de serem expropriadas. Na oportunidade, o deputado relatou ao novo presidente da Funai, Franklimberg de Freitas, o sofrimento causado pela situação que já dura anos.


Os produtores relataram que, embora tenham sido vitoriosos na Justiça Federal, que concedeu liminar para impedir a tentativa de expropriar suas terras para ampliar a aldeia, precisam por um ponto final nessa ameaça, por serem os proprietários legítimos. Além disso, declararam durante a reunião que suas terras estão legalizadas e escrituradas há séculos, e consideram ser um absurdo o Poder Público, por meio da Funai, tentar tomar essas regiões, uma vez que demarcadas como território indígena, o governo fica livre de pagar indenização aos verdadeiros donos.


O presidente da Funai assegurou que atualmente já houve uma mudança na condução desses processos na Fundação e que, mesmo que a liminar caia, o município terá autoridade para suspender o processo, se comprovada as ilegalidades cometidas nos relatórios da FUNAI, conforme apresentado.


No encontro, Domingos Sávio fez questão de destacar seu respeito aos povos indígenas e afirmou que sempre apoiou e continuará apoiando uma política de respeito a esses povos. E ressaltou que o Brasil tem muitas terras e florestas que realmente precisam e devem ser preservadas e asseguradas aos indígenas. Para ele, justamente por isso, não faz sentido tomar terras produtivas que são propriedade legítima dos produtores de Pompéu e Martinho Campos para doar para alguns que se dizem indígenas e que nunca ocuparam ou produziram qualquer coisa nessas terras. “Vou continuar defendendo os municípios de Martinho Campos e Pompéu. Não vamos permitir que seus produtores rurais sejam roubados”, finalizou o deputado.