Crédito rural e fortalecimento do agro são defendidos por Domingos Sávio

9 de fevereiro de 2022 | Por: Assessoria de Imprensa

Os danos causados à agropecuária brasileira em função dos recentes fenômenos climáticos que, ao mesmo tempo, provocam longo período de seca na região centro-sul do país e excesso de chuvas em estados como Minas Gerais e Bahia, estão no centro das atenções da bancada do agro na Câmara Federal.

Nesta terça-feira, (08/02) deputados e deputadas se reuniram virtualmente com a ministra Tereza Cristina e técnicos do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) para debater as medidas adotadas pelo governo federal com foco em minimizar os prejuízos na produção de alimentos e insumos.

Vice-presidente da Frente Parlamenta da Agropecuária (FPA), o deputado federal Domingos Sávio demonstrou preocupação com a limitação de recursos para o financiamento da produção de alimentos no país e cobrou um alinhamento com o Ministério da Economia para garantir crédito a quem produz.

O Governo deveria sinalizar que vai prorrogar os contratos daqueles que foram vítimas de intemperes climáticas graves, para dar alento ao país, estímulo ao setor e nós, defensores do agro, darmos uma resposta aos produtores”, destacou o parlamentar.

Domingos Sávio trouxe ao encontro sua experiência na Comissão Mista de Orçamento para sugerir ao governo a suplementação do orçamento e a busca de soluções para garantir crédito aos produtores. “Não podemos conviver com a atual realidade de produtores apavorados porque não podem contar com crédito para continuar produzindo. O agro não é só a âncora do Brasil. É também a alavanca do país. É o setor que tem gerado emprego na economia e dado superávit nas exportações”, completou.

Plano Safra

O deputado defendeu o auxílio financeiro para toda a cadeia do agro. Elogiou as recentes políticas que vão atender os produtores que se enquadram no Programa Nacional do Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf), mas ressaltou que o agro deve buscar soluções mais abrangentes.

“Eu acho que é compreensível a alternativa encontrada, de que se possa, de imediato, sob a forma de rebate, atender os pronafianos. Claro, se nós já temos essa alternativa legal, começa por aí. Mas, não podemos, em uma situação como essa, se limitar a buscar uma solução que alcança parte do setor. Temos que alcançar o conjunto da agricultura. E, mais do que isso, além de termos essa possibilidade do parcelamento das dívidas nas regiões atingidas ora por chuvas, como em Minas, ora pela seca, como no Rio Grande do Sul, temos que resolver essa questão e garantir os recursos para subsidiar o Plano Safra”, resumiu Domingos Sávio.

MAPA mais forte

Domingos Sávio cobrou ainda que o governo federal fortaleça o orçamento do Ministério da Agricultura e, assim, possibilite a compra de mais máquinas e novos equipamentos agrícolas para ajudar municípios a manter as condições ideias de estradas rurais por onde é escoada a produção de alimentos.

É preciso mais agilidade no pagamento das emendas individuais e de bancada para fazer com que os recursos cheguem ondem farão diferença para o produtor. Os municípios contam com esse aporte para terem condições de viabilizar melhorias nas vias de acesso às comunidades produtivas”, afirmou Domingos Sávio.

Cooperativas de crédito

Para garantir liquidez e aumentar a capacidade de operação das Cooperativas de Crédito, Domingos Sávio propôs mais diálogo com o Banco Central para garantir recursos que cubram a prorrogação emergencial de contratos e garantam novos empréstimos como estímulo para a produção.

Vamos buscar o entendimento para debater com o Banco Central uma tolerância aos tipos de prorrogação emergencial, dentro de uma de situação calamidade, para que não haja uma concepção de crédito duvidoso ou simplesmente de inadimplência. Esse é um problema que o sistema de cooperativismo está enfrentando na hora de fazer um gesto de ajuda aos produtores”.

Assine Nossa Newsletter