Furnas: Agência de Águas estabelece volume máximo de vazão para encher o lago

18 de fevereiro de 2021 | Por: Assessoria de Imprensa Foto: Raylton Alves/ANA

Pressão da bancada mineira faz ANA publicar resolução com vigência até 31 de maio

A Agência Nacional de Águas (ANA) publicou esta semana novas normas de operação para os reservatórios de Furnas e Marechal Mascarenhas de Moraes (Peixoto). O texto estabelece ação imediata para melhorar o nível acumulado de água a partir da diminuição da vazão defluente do rio Grande.

As condições de operação excepcionais, complementares às já previstas nos atos de outorga dos empreendimentos, estão em vigor a partir da próxima segunda-feira, 22 de fevereiro e têm validade até 31 de maio deste ano ou até a revogação da Resolução ANA nº 63/2020.

Com as novas condições, ficam estabelecidas faixas de operação para cada um dos reservatórios – definidas pelo volume acumulado observado – e limites de vazão defluente nessas faixas.

A ANA classificou a recuperação dos reservatórios como fundamental para garantir a segurança hídrica na região e necessária para permitir que estejam em melhores condições de armazenamento no próximo período seco, reduzindo impactos sobre outras atividades realizadas no lago.

Em defesa do Lago de Furnas

O deputado federal Domingos Sávio defendeu e cobrou ação rápida dos órgãos reguladores que administram os reservatórios. De acordo com o parlamentar, é fundamental garantir a exploração dos recursos hídricos de Furnas e Peixoto a partir do uso múltiplo das águas.

Em dezembro de 2020, Domingos Sávio esteve na Agência Nacional de Águas, em Brasília, acompanhado do prefeito de Carmo do Rio Claro, Filipe Carielo, em apelo aos milhares de cidadãos mineiros que dependem do lago acima da cota 762m para exercerem várias atividades econômicas, como a aquicultura, piscicultura, agricultura, turismo e até navegação.  

Nosso objetivo sempre foi cobrar da ANA que cumpra seu papel constitucional de fixar as regras para que o Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) e Furnas Centrais Elétricas cumpram o acordo para recuperar o nível das águas”, afirmou Domingos Sávio.

A mobilização da bancada mineira e do Governo do Estado pela recuperação dos reservatórios também levou ao Lago de Furnas o ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque. Na data da visita, em 14 de dezembro, Furnas estava com a cota 756m, oito metros abaixo do nível estabelecido como mínimo. Conforme dados de Furnas Centrais Elétricas, o nível do reservatório ao final do dia 18 de fevereiro de 2021 era de 757,51m.

Acompanhe aqui o nível dos reservatórios.

Assine Nossa Newsletter